sábado, 9 de setembro de 2017

Escolhas


Ao construir nossa história, a tentativa é quase sempre baseada em bons desejos e sentimentos, planos que nos levam a imaginação de grande êxito, então colocamos nossa energia a favor de que a felicidade chegue e ao passar do tempo vá se firmando, vivemos com a esperança de que boas coisas aconteçam aos que de coração se lançam a trilhar seus caminhos. Idealizamos boas relações, projetos de vida que na teoria são próximos a um sonho imaginado e aparentemente provável.
Com o tempo aprendemos que nenhuma construção segue uma linha reta, o destino nos reserva à necessidade de tomada de decisões que mudarão nossa vida para sempre, colocando muita coisa em que sonhamos com o risco de caírem em meio ao vão, a força e a maturidade ainda não conquistada é exigida fora do tempo e você mesmo se sentindo frágil e não se sentindo pronto deve usa-la mesmo assim, em um caminho solitário que grita atormentando seus pensamentos, apontando que agora o erro ou o acidente de percurso aconteceu e não pode parar, e ainda mais contar com o auxilio alheio, a decisão é sua, precisa decidir, mas não sabe ao certo, o que deva de fato fazer; escolhe o óbvio, por medo das incertezas, e acredita que é o mais sensato a ser feito, o coração diz calma, a vida diz decida agora, na ingenuidade ouvimos a vida, na tentativa que a angustia passe, que a dor cesse que a lagrima seque.
Então percebe que em vários momentos da vida, suas decisões serão solitárias, mesmo quando diz respeito ao outro também, as perdas são inevitáveis, contratos são quebrados em todo tempo, amores desfeitos com o passar dos dias, apesar da constatação, que a vida não é tão piedosa e generosa como de inicio imaginávamos que seria, assim segue acreditando que depois da curva existe um novo horizonte que pode encher sua alma, e seu coração revela que não deve desperdiçar a esperança desta vez, a vida diz pare, o coração diz sinta, o jogo muda e o destino te põe à prova novamente e está diante da escolha que decidirá os próximos anos da vida e que por tempo questionou em como seria se houvesse escolhido no passado outro caminho e novamente pode recomeçar e se dar a chance ao novo, pois o mundo não respeita quem desiste, e desistir de si não deveria ser uma escolha.
Todo guerreiro não leva consigo o arrependimento, pois quando escolhe viver tem obstinação em seu olhar, uma prece na alma e acredita na força do que sente, sabe que por mais cruel que seja o golpe, ele cicatriza e não há perda maior que o luto dos seus, mesmo assim ele decide viver e deixar de acreditar nunca foi uma possibilidade, cansado por muitas vezes teve que negociar consigo mesmo, mais com o coração cada vez mais forte o guerreiro, olha de onde saiu e agradece por toda trajetória, seus aliados são estimados e sempre serão protegidos por sua espada, mesmo que  siga com a espada embainhada, confiar é sua virtude, tanto no golpe como na defesa.

“Mal nenhum há ao que se sente, se há amor , há uma escolha certa respeite o que sente .”


Texto Cris Campos
Imagem e vídeo da Net




Um comentário: