terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Reinventar-se

           
         


                       Sobre as escolhas e suas dualidades, a referencia foi quase sempre entre o bem e o mal, certo ou errado, ir ou ficar, rir ou chorar, amor ou ódio, sendo que somos mais do que essas regras aprendidas, ensinadas como verdades absolutas, em tempos instáveis aprendemos a nos reinventar, assumimos, cada vez mais, a alegria de sermos quem somos e o que sentimos , quebra-se as regras impostas por séculos com a busca de sermos livres por dentro , a busca da felicidade , tornou-se a busca por ser livre, a forma de sentir hoje não permite mentiras relacionadas ao que se sente, a fidelidade dos próprios sentimentos vira regra de vida.

Essas duas possibilidades se abrem a oportunidades com mais opções de escolhas, que entre o céu e o inferno, há pessoas que preferem voltar em outras vidas, guerreiros nórdicos preferem Valhala, gladiadores preferiam ir ao pós vida, desta maneira é ampliado o sentido e o significado que se constrói em uma vida, você optar pelo que acredita que te leva a ser livre, faz de você autentico dentro das verdades que carrega consigo mesmo e isso, não tem haver com rebeldia ou perdição, mas seguir as verdades que te libertam.

            Todo guerreiro sabe que a vivencia nunca é esquecida, as lembranças tem poderes de eternizar tudo o que se vive, amores são deixados para trás quando as promessas não fazem mais sentido, e acreditar que nunca mais sentirá nada é uma ilusão tola, somos corações que acolhem almas, as nobres permanecem, mesmo que tenham sido por passagem, o sentir marca historias e historias eternizam em nós bons sentimentos, que se tornam sagrados, os que nos fazem sangrar, se tornam aprendizados, os que nos curam nos levam até o divino e é nessa hora que se dá a salvação.  

Sonha- se com ardor, espera- se voltar a viver, só assim podemos nos dar ao luxo de experienciar momentos e sentimentos que jamais imaginávamos sentir novamente, mais eles são reais, para serem ignorados, então levanta e ama.

“ Seguir é sempre a melhor escolha, negar o que se sente é perde-se”



Texto Cris Campos
Imagem e vídeo da Net

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Reconciliação


Ainda aprenderemos a ter paz na forma em que se vive, quando passarmos a assumir o que sentimos ou deixamos de sentir no decorrer dessa longa caminhada que é viver.
Criamos sonhos que são perdidos durante a estrada, isso acontece quando nos perdemos de nós mesmos, então o sentido se torna turvo, não consegue – se ver como se é, desta forma colocamos tudo a perder, valores são perdidos, sentimentos ressentidos, sonhos desiludidos.
Construímos armaduras na tentativa de proteção, juramos tolices quando deixamos de acreditar no que sentimos, a distância se torna como um cuidado negligente, que não protege e não sara nada, enrijece apenas, minando as forças e amargurando a vida.
O que um guerreiro consegue ver é que na proteção se morre sonhos, sentimentos e vida, cuidado é claro que é uma necessidade, agora a dureza da armadura usada para não sentir, diminui a vida, o fim não chegou, mas é como se tivesse presente no dia a dia, tudo remete a defesa, para que não doa, a ingenuidade toma conta, pois como se pode proteger de si mesmo, do que se sente e sonha.
Amaldiçoar a vida é típico de quem prometeu a si mesmo não entrar em caminhos que o levam ao sofrimento, não se consegue olhar a história de forma louvável, se não estiver disposto a olhar as batalhas com alegria de ter as travado e ter saído vivo, comemora- se a vida e tudo que dela conquistou, e apesar do cansaço, o guerreiro acredita que vale apena retomar seu coração e enxergar o desgaste das batalhas como medalha, descansa a vida, ergue a bandeira de paz, assumindo para si a trégua.
Quem se protege para não sentir, culpa a vida, culpa Deus, culpa tudo e todos, e assim está morto.
Sendo que o verdadeiro sentido está na reconciliação consigo mesmo, com a vida e com seu Criador, sara seu coração e olha para si, onde a decisão é voltar a sentir, pois sua vida é a partilha com os seus, e de coração aberto e alma exposta, assume a vida, suas lagrimas secas dão lugar a novas emoções que traz ao coração paz, entrega sua alma através de uma prece ao anjo e o coração entrega a vida.


“Reconcilia - se e vive”

Texto Cris Campos
Imagem da Net

domingo, 6 de novembro de 2016

Existir


É assim que a vida acontece, um sopro de momentos que se entrelaçam entre a dúvida e as certezas, a realidade e a ilusão do que se deve viver, ou não se deve de maneira alguma, os passos são dados na linha tênue da inconsequência e de não poder falhar, as contradições estão sempre presentes, acostume se, muita coisa não sairá como planejado e isso não tem nada a ver com incompetência ou fracassos e muito menos com destino, claro que as interferências do externo contam, é claro que os sinais espalhados em todo tempo pelo extraordinário fazem da vida um jogo de intuição e planejamento, brigas constantes, entre razão e coração, dividir a vida entre uma coisa e outra, torna a vida com sentidos limitados, sendo que devemos mesmo é aprender a usar a somatória das forças, escolher entre uma forma ou outra é tolice, somos pois o conjunto de sentimentos , emoções e pensamentos, nenhum age sozinho ou separado,  o que na verdade define é a intensidade e a escolha exigida no momento devido, a regra pode ser mudada no meio do jogo, sem danos e sua coragem que vai te dizer, de que forma deve agir e seu medo regula qualquer excesso, lembrando sempre que nenhum extremo é saudável.
De verdade, é através da paciência conquistada pela maturidade de superar as adversidades do tempo, que faz a vida ter sabor, viver fora do que a regra traz liberta a alma, saber que a normalidade é mais doentia, que ser diferente, sair do modelo padrão pra se tornar o que realmente deseja ser é mais saudável que imagina, isso te trará a certeza que seu caminho é único, assim fará jus a oportunidade que tens de viver, mas para isso terá que assumir a forma que você sente e vê a vida e isso não tem nada de loucura ou viver de forma marginalizada, ser quem deve ser, exige suportar a diferença alheia e admiração dos sem coragem.
O que sei da vida é que ter fidelidade ao que sente, te faz único e essa é nossa maior loucura ou santidade, ter que se encaixar a padrões determinados por outros, te leva ao vazio existencial e essa é a maior injustiça que pode cometer contra a vida, mesmo tendo seus percalços a vida sempre terá sua generosidade, cabe você escolher viver da sua maneira ou seguir a outros que nada sabem a seu respeito, apropria se de si mesmo e segue.
Tudo se desvenda com o tempo, tudo que a tempestade arrasta, o bom vento traz suavemente até você e o que irá perceber, é que, o que há de mais sagrado em ti é viver, assim a harmonia toma conta de quem assume o compromisso de construir sua lenda pessoal, afinal temos pouco tempo para fazer com que tudo dê certo nessa oportunidade chamada vida.
Constrói para si mesmo um lugar só seu, assim receberá os seus em paz na sua casa, no seu santuário e com gratidão saberá quem são os que assumem dividir e compartilhar da loucura e da doçura que é sua existência.
Com o coração em paz, divide sua vida, sua casa e seus sonhos, desta forma que nosso legado se eterniza na partilha com os que ama.

”Faz uma prece de gratidão e escolhe viver”.    

Texto Cris Campos
Imagem e vídeo da Net  


terça-feira, 27 de setembro de 2016

A Felicidade


A vida é uma construção sem fim, quem se limita a estar pronto, diminui sua existência, pois pronto de fato, jamais estaremos, não sairemos dessa vida já terminados e perfeitos.
Vivemos exigindo de nós uma forma de corresponder a ideias que não são as nossas a respeito de quem queremos ser, esgotamos nossas possibilidades mergulhados a padrões, que se tornam cada vez mais desumanos e insanos, uma pessoa é feita da matéria prima afeto, satisfação, gratidão, cuidado, isso só é possível nos relacionando sem fugir da responsabilidade de ser humano
 Infantilidade de não convivermos ou aceitarmos o diferente ao que desejamos ser, mostra que negamos nossa maturidade existencial, pois quando o outro assume seu caminho nos revela o quanto estamos distantes do nosso e de quem desejamos ser, isso causa raiva não do outro, mas de nós mesmos, por não assumirmos quem somos.
Se quer ser solteiro seja , ou casado seja, religioso seja, ou não quer seguir a nada assim seja, quer ser letrado seja, ou acredita que é melhor viver na ignorância seja, os que buscam sucesso a todo instante que sejam fiéis a essa proposta, só que existem pessoas que não dão a mínima para o sucesso modelo dos nossos tempos, há pessoas que o sucesso está no acumulo de bens e reconhecimentos, outros o sucesso é cuidar de sua família ou viajar o mundo e lutam apenas por isso, e não quer dizer que as lutas desses sejam menos árduas, ser bem sucedido monetariamente não quer dizer que seja uma pessoa de sucesso, somos sucesso quando nos superamos, sendo assim o único equivocado é quem desiste de si para seguir padrões que não são os seus, os que não seguem os mesmos princípios que os seus, não fazem isso para te destruir, até por que suas escolhas são responsabilidade sua, aprenda a lhe dar com as escolhas alheias isso não é uma afronta ao que você deseja ser, nesse braço de ferro, só perde quem esquece das suas escolhas e quer mudar o outro para que se sinta familiarizado e assim se torne forte sua convicção, a convicção não precisa ser do outro e sim sua.
O contato com a felicidade pode ser esse, o de respeitar e conviver com quem não escolhe viver da mesma maneira que nós e isso não faz de ninguém pior ou melhor, aliás quem se acha maior ou melhor por que supostamente acertou na vida, não passa de uma criança egocêntrica e que se recusa a ser adulto e entender que não existe um único caminho e aquilo que mais valoriza pode ser perda de tempo para o outro.
Uma das maiores descobertas da vida é que não existe receita pronta para a felicidade, para viver, para o amor ou para o sucesso, criam dicas, elaboram cartilhas, que só tem a função de padronizar ou receitar modelos de felicidades de cunho comercial , e cada pessoa é uma estrela, é uma escolha, a felicidade é um caminho único e somente seu.
  "Retome sua vida, chore suas perdas, arrependa se , perdoe se pelos erros cometidos e segue, pois a mesma mão que devasta a vida em alguns momentos é a que se ergue para abençoar.
Escreva seu destino, escolhe viver.
      
Texto Cris Campos
Imagem da Net

quarta-feira, 13 de julho de 2016

A trégua

             

           Somos feitos de momentos, que vão acontecendo, se constituindo e virando história, temos o presente em nossas mãos, mais o sonhador acredita apenas que o futuro pode ser melhor, então em uma certa etapa da vida, percebe que somos o que podemos ser naquele instante oportuno. Podemos nos abrir a mudanças, mas para isso as situações  precisam se tornar presentes, por que a vida da sinais em todo tempo, sobre o caminho que deve seguir e a maior fidelidade que precisa ter é consigo mesmo, sonhar através do outro sempre será muito arriscado, então toma para si suas batalhas e luta com ardor de quem quer construir seu destino  se responsabilizando pelas suas escolhas e jamais conduza sua vida pela escolha do outro, ainda mais numa batalha em campo aberto onde sua fragilidade e vulnerabilidade estão expostas.
Aprende a conhecer suas fraquezas, afim de que ninguém tenha domínio sobre você pela parte que lhe dói, pois nem todo adversário age pela dignidade, há muitos deles que são desleais a si mesmo quanto mais na batalha, onde te vê como um concorrente, esses têm sede apenas do poder, e possuem seus corações com rupturas e tendências perniciosas, trazem no peito a corrupção na hora de oferecer acordos ou tréguas, por tanto, cuida de se sarar para que não se derrote antes mesmo do golpe inimigo.
Todo guerreiro já teve feridas que transpassaram sua armadura e mesmo as feridas sendo conhecidas apenas por ele, sabe que precisava esperar pelo tempo da cicatrização, e nesse momento o cuidado deve ser dobrado, pois um pequeno golpe pode ser fatal e colocar tudo a perder, e de nada valeria as lutas travadas, se a queda do guerreiro se der por sua própria negligência.
            Durante um bom tempo ele agiu de forma agressiva, para sua proteção, acreditando que de fato a melhor defesa seria o ataque, como era portador de feridas profundas a proteção foi a habilidade melhor desenvolvida por ele, se desenvolveu tanto no ataque que fez e viu essa estratégia se tornar o território mais seguro, durante dias longos da sua existência.
           Com o tempo as dores cessão e o guerreiro tem seus sentimentos fortalecidos, suas habilidades em cuidar de si se tornam seu maior trunfo, durante algum tempo agiu pela dor e isso só deixava expostas suas fraquezas, onde era seduzido por um pedido de quem se fazia de necessitado, afim de, através da manipulação tê-lo em suas mãos, mais quando acontece a cura, seus olhos se tornam atentos a isso, e quem lhe dominava através do afeto, vendo que essa estratégia não serve mais, começa agir pela imposição, na tentativa de ter controle sobre sua vida, mais esse talvez seja o maior equívoco dos adversários, achar que pela força o guerreiro recua, não sabem que essa é a área mais confortável para ele, ele domina as estratégias de ataque, pois usou ela durante dias a fio para se defender em tempos passados.
          Dominá-lo pela dor ou por suas fraquezas, não cabe mais, tentar a dominação pela força é o ato mais tolo. Ele sempre joga aberto com o que não permite que façam com ele de forma alguma, quem testa sua postura em relação a isso já entra em campo de batalha com a derrota garantida, pois o guerreiro em tempo de maturidade sabe que existem batalhas que não devem ser travadas, então ele leva consigo a gratidão, agradece através da prece e segue seu destino, para os aliados deseja a paz aos adversários trégua.      


“Não me arrependo dos momentos que sofri por amar, (minha família, meus amigos e a vida), mas carrego minhas cicatrizes como se fossem medalhas, amar tem um preço alto, tão alto quanto o preço do ódio, a única diferença é que se paga com prazer, e com um sorriso, mesmo que um sorriso manchado em lágrimas”. Adaptação de o Zahir, 2005.




Texto Cris Campos
Imagem e vídeo da Net                


segunda-feira, 27 de junho de 2016

O destino


Descobre como se vive bem a vida, quem se propõe a ler os sinais, que ela todos os dias traz à luz do coração, viver não é uma tarefa fácil, já que todos os dias temos que buscar um sentido em tudo o que desejamos construir, pois sempre haverá movimentos contrários a tudo o que de fato deseja, a fidelidade ao que se sente e almeja será seu maior desafio, o questionamento virá, as perdas então serão incontáveis, saber agir no tempo adequado exige calma.
As palavras são jogadas ao vento, as despedias inevitáveis, as paixões passam e os encantos são quebrados, como em um passe de mágica as qualidades projetadas se acabam e o que se vê é o real, por isso entre a paixão e a lealdade , escolhe o que te traz paz, o que te faz ver a realidade , negar o que se vê é o maior dos enganos.
Um guerreiro para não desistir de si mesmo, se protege através do isolamento em muitos momentos, até sentir que a casca grossa assumida é desnecessária, pois tudo se sara com o tempo, e com os devidos cuidados, para se sarar afastou-se de muitos, quebrou alianças, questionou a fé deixando de contar com a ajuda divina, passou tempos inesgotáveis de frieza, parecendo não ser capaz de sentir nada, hoje entende a real necessidade de não sentir, como um zelo para consigo mesmo, os únicos que ainda se comprometia a amar era os seus, os verdadeiros aliados, esses o guerreiro jamais negaria sua mão estendida e seu abraço de lealdade.
Hoje guarda consigo a prece, seu coração senti se forte, não há mais motivos para partir desse mundo, pois o desespero da dor fez com que inúmeras vezes sentisse que juntar se aos mortos seria a melhor opção, hoje não deseja a morte , mas também não a vê como inimiga, ao passar por tantos momentos contrários percebe que na verdade o que esperava era que a dor cessasse, e assim aconteceu, por ter o queixo duro, suportou as perdas, as pancadas traiçoeiras, as paixões se extinguiram por si só e sua realidade se torna suave, vê o futuro modificado pelo presente que insiste viver, de alguns se tornou distante, já outros, trouxe para junto de sua alma, pois é da alma que sai as preces do guerreiro e nesse lugar sagrado guarda os seus.

“Nesse momento ajusta as velas e sente o vento divino guiar o seu destino, então o guerreiro olha para o céu e agradece, simplesmente agradece !!!”


Texto Cris Campos
Imagem da Net


domingo, 1 de maio de 2016

A crença




Com o tempo aprendemos que é na sabedoria que encontramos a paz procurada, ela não está fora e sim na forma que percebemos as coisas, onde silenciamos nossos barulhos internos, é nela que podemos alicerçar nossas crenças,  “ que a vida pode ser melhor “ , “ que a bondade do coração das pessoas pode sim mudar muita coisa no caos que a humanidade caminha, a sabedoria não erra.
O tolo não dá ouvidos a si mesmo, vive sempre procurando sentido da sua vida, olhando a vida do outro, e o que acaba encontrando é o tédio, o isolamento, mergulhando em sua culpa sem fim, por que construir com sabedoria depende do olhar que se vê e por se ver, conhece suas imperfeições como ninguém, e trava uma luta invisível, incompreensível ao outro, nesse momento se abre para uma construção constante para ser melhor um dia após o outro.
Quando começa a construir seu sentido de vida com sabedoria, você agradece aos aliados, aos que de certa forma te instruíram, agradece a sua Divindade, aos guias espirituais e gurus, todo ensinamento dado, porém agora você vê com seus próprios olhos e precisa caminhar sozinho e trilhar seu destino com gratidão no coração, sem jamais esquecer de onde saiu e de suas origens, mais precisa seguir e construir sua própria crença, pois toda revelação aprendida sempre foram passadas por uma instrução muito particular de quem a ensinava e por mais que muitas vezes, seus discursos fossem coerentes, servia mais para si próprios, porém foi um aprendizado, pautado em uma experiência pessoal.
Seguir sua vida pelo que o outro te ensina, não te exume da responsabilidade de quem é e sente, acolhe com humildade o ensinamento, agora as decisões são somente suas a respeito do caminho que irá escolher como seu.
Todo guerreiro aprende com o tempo, a dar valor em sua vida, nos que ama e no amor supremo, conhece sua habilidade quando levanta a espada e não hesita a dar o golpe, se empunhar a espada com toda certeza irá extirpar o mal que lhe fazem, pois hoje tem zelo por sua vida e está sempre em ordem de batalha para defende-la, por tanto sempre escolhe o caminho da mão estendida, na oportunidade de acreditar mais uma vez, na reconciliação, na trégua, ele promete a si mesmo lutar por quem vale a pena ser considerado um dos seus, mais é implacável na despedida, talvez esse seja seu maior golpe.
O guerreiro acredita no bem, mas sem ingenuidade, sabe que em todo tempo está exposto ao mal; ele acredita no amor , mas não na posse; a salvação que lhe cabe acreditar é que fazer o bem a quem ama sara a alma de quem o faz, e se faz o bem a um necessitado, não mostra aos outros, para não se vangloriar com a desgraça alheia, evitando mais humilhação ao que precisa de uma mão estendida, todo bem se faz em silencio, gritar aos quatro ventos é coisa de tolos, ele acredita na proteção de sua Divindade, mas não nos vendilhões, que ao invés de acolher a dor do outro, determinam que não há salvação, o guerreiro pensa que não é possível que estejam certos, que Deus condena por alguns erros e não se importa com os acertos todos, então ele escolhe servir ao outro, doando seu tempo, procurando que o outro se fortaleça e depois de ser cuidado caminhe.
Fazer o bem, amar sem medida e ter gratidão, salva qualquer um de seus infernos.

“Acreditar, vai salvar sua vida, essa é uma máxima que não deve abandonar”.    




Texto Cris Campos
Imagem e vídeo da Net